menu
Partilhar

Treinar em jejum: bom ou ruim?

 
Por Juliana Ribeiro. Atualizado: 15 maio 2023
Treinar em jejum: bom ou ruim?

A conveniência de treinar em jejum é um debate recorrente na sociedade, que se divide em dois grupos claros: os que defendem essa prática pelos benefícios de praticar esportes em jejum e, ao contrário, os grupos que a consideram perigosa devido aos riscos que acarreta. Por isso, é importante expor todos os fatores para que você possa analisá-los antes de se posicionar.

Além disso, algumas pessoas que podem escolher a hora do dia para praticar esportes têm dúvidas razoáveis ​​sobre quando é a melhor hora. O que se consegue treinando em jejum? Posso fazer qualquer tipo de treino logo pela manhã? Para saber sobre treinar em jejum, os benefícios obtidos e os riscos que traz para a saúde, no umCOMO recomendamos que continue lendo este artigo.

Também lhe pode interessar: Como treinar circuito na academia

Treinar em jejum faz mal?

Entende-se que o treinamento em jejum corresponde a se exercitar sem ingerir nenhum tipo de alimento durante as últimas 8-12 horas antes da sessão de treinamento, ou seja, geralmente após o período de descanso e sono noturno.

O que se busca com o treinamento em jejum? Fundamentalmente, a perda de gordura, uma vez que se pretende aumentar a utilização dela durante a atividade física em jejum. Mas isso nem sempre é verdade de forma literal, pois para conseguir isso você precisaria treinar até que o glicogênio armazenado no corpo se esgote e manter uma dieta muito baixa em carboidratos.

Embora o treinamento em jejum não melhore o desempenho esportivo em exercícios aeróbicos, ele aumenta a capacidade de armazenamento de glicogênio muscular. Por isso, aumenta a capacidade de resistência do indivíduo, bem como a adaptação do organismo ao metabolismo das gorduras e uma ativação constante de intermediários metabólicos.

Resumindo, é bom treinar em jejum se você fizer isso com responsabilidade. Ou seja, o treino em jejum não deve ultrapassar duas sessões por semana, embora a frequência dependa muito da condição física do atleta, da capacidade de sair para treinar em jejum e, acima de tudo, ser saudável e ter uma vida saudável em geral. Para pessoas com pressão baixa ou que sofrem de diabetes, treinar com o estômago vazio apresenta risco de desmaio, portanto, nesses casos, não é recomendado.

Se você é uma pessoa em boas condições físicas e de saúde, pode treinar em jejum sem problemas, mas tomando uma série de cuidados. Por exemplo, é importante que você leve algum alimento com você (de preferência um pedaço de fruta e bebida isotônica) quando fizer esses exercícios para que possa comer algo imediatamente se começar a se sentir mal ou excessivamente exausto.

Você também pode estar interessado em saber Qual é a melhor hora para se pesar.

Treinar em jejum: bom ou ruim? - Treinar em jejum faz mal?

Benefícios de treinar em jejum

Exercitar-se em jejum de forma responsável oferece grandes benefícios para a saúde, como os seguintes:

  • O exercício cardiovascular em jejum ajuda a prevenir problemas relacionados a diabetes, pois o treinamento de estômago vazio melhora a sensibilidade do corpo à insulina, que é uma das principais causas de diabetes e obesidade.
  • Contribui para aumentar a capacidade energética do corpo, aumentando a capacidade de armazenamento de glicogênio, induzindo a geração de novas mitocôndrias, ou seja, células que atuam como baterias para o corpo.
  • O exercício em jejum torna seu corpo mais eficiente em termos energéticos, aumentando sua capacidade de usar mais gordura como combustível. Desta forma, o corpo não é tão dependente da glicose para o desempenho atlético.
  • Os níveis de colesterol, triglicérideos no sangue e flexibilidade metabólica são outros aspectos que também melhoram se você decidir treinar em jejum com responsabilidade.
  • Não causa dor de estômago. Um problema recorrente em pessoas que começam a se exercitar é sentir desconforto na forma de náusea, dor de estômago ou simples desconforto. Isso geralmente acontece por ter comido em excesso antes da prática esportiva, um problema que é evitado se você treinar com o estômago vazio, se comer um pouco antes do treino ou se deixar passar tempo suficiente entre comer e se exercitar.

Riscos de treinar em jejum

Praticar esportes em jejum não é recomendado para todos. Tomar alguns cuidados básicos considerando os riscos associados ao exercício com o estômago vazio é essencial para que essa prática seja positiva para a saúde.

Treinar em jejum faz mal em quais casos?

O exercício em jejum não é recomendado para pessoas que começam a praticar esportes. Seu corpo não estará adaptado e o esforço feito pode ser súbito e excessivo. As consequências podem ser negativas, como uma menor eficácia do seu desempenho esportivo, já que o corpo não tem energia suficiente para fazer o esforço necessário.

Além do que se refere às capacidades físicas, o exercício em jejum pode causar certo desconforto muscular ou risco de lesão e, em casos extremos, tontura e até perda de consciência. Se seu objetivo principal é ganhar massa muscular, no umCOMO não recomendamos atividades físicas em jejum, porque seu corpo buscará energia a todo custo com o estômago vazio, inclusive em músculos ricos em proteínas e carboidratos. A queima de energia dessa maneira leva a uma perda progressiva de massa muscular.

Se pretende ler mais artigos parecidos a Treinar em jejum: bom ou ruim?, recomendamos que entre na nossa categoria de Fitness.

Escrever comentário

O que lhe pareceu o artigo?
Treinar em jejum: bom ou ruim?
1 de 2
Treinar em jejum: bom ou ruim?

Voltar ao topo da página